Napoli, Italy

Saturday, July 14, 2012

Por dentro da Rússia / Inside Russia

*Keep going down for english

            Chegamos em Moscou às 9 horas da manhã e fomos direto para a estação de trem. Passamos muito tempo tentando nos comunicar porque ninguém falava inglês. Mas finalmente nossas mimicas funcionaram e conseguimos comprar uma passagem para o mesmo dia à noite. Esperamos na estação, pegamos um ótimo trem e amanhecemos em São Petersburgo.
          É difícil de descrever o nosso sentimento ao chegar na cidade. Eu diria que foi uma sensação mágica, mas vamos ver se consigo explicar melhor. Nós ficaríamos na casa da Elena e da Marina, mãe e filha, que conhecemos pelo couchsurfing. Chegamos às 5 da manhã e pegamos um metrô para fora do centro. Chegamos em um bairro limpo, tranquilo e com construções antigas. As ruas estavam vazias e fazia frio. O sentimento de estar em lugares tão diferentes em um intervalo de tempo tão pequeno era estranho. Deixamos a grande, agitada e moderna Delhi e agora estávamos na antiga, tradicional e calma São Petersburgo. Caminhamos por uma rua arborizada, passamos por algumas padarias e em frente à uma igreja tradicional russa, achamos o apartamento onde ficaríamos.
        Era um prédio muito antigo e bem conservado, com portas e maçanetas grandes. Entramos em um elevador antigo que nos levou à um apartamento enorme. A sala tinha vista para a igreja com sua arquitetura deslumbrante, o teto era alto e as luzes de dois grandes lustres que desciam do gesso detalhadamente desenhado estavam apagadas, já que nesta época do ano as noites duram apenas uma ou duas horas. A Elena e a Marina nos receberam com muito carinho, preparam o café da manhã e nos fizeram sentir em casa. Sim, nós estávamos do outro lado do mundo e em casa, isso é mágico.
         Nós descansamos um pouco e nos próximos dias exploramos a cidade. Passeamos e andamos muito, aproveitando a temperatura amena. Não ter que evitar andar por causa do calor foi o máximo! Visitamos museus famosos, vimos construções magníficas de palácios e igrejas. A cidade é absolutamente linda e cheia de história, foi construída por um Czar, que a nomeou com o seu nome: Peter. Estávamos no velho mundo europeu pela primeira vez e era interessante pensar em tudo o que já havia acontecido naquele lugar.
Comemos muito pão! Os pães integrais eram deliciosos! Estávamos morrendo de saudade, já que pão não é tão comum na Ásia! Pão, queijo, salame, foi um sonho! Com a temperatura amena, coloquei uma calça jeans e um cachecol feliz da vida! Mas claro que fui exagerada porque durante o dia ficava quente, mas um quente gostoso, cerca de 25 graus e fresco na sombra. Foi tudo uma delícia!
Ficar com a Elena e a Marina foi ótimo. Nos sentimos como se estivéssemos visitando familiares que não víamos a tempo. Que clima delicioso! A Elena fez jantares tradicionais russos e nós tomamos bastante chá, também uma tradição. Nós nos sentimos confortáveis para também fazer alguns jantares e as conversas sobre diversos assuntos incluindo a história da Rússia foram espetaculares!
Em Moscou ficamos com o Sergey, também pelo couchsurfing, que nos apresentou a cidade com os olhos de quem morou lá a vida inteira! Nos mostrou diversas construções que foram destruídas pela União Soviética e que, com a sua queda, foram reconstruídas exatamente como eram antes. Vimos reconstruções sendo feitas, igrejas sendo construídas novamente. Ele nos contou que as religiões eram proibidas durante a União Soviética e explicou como as coisas mudaram tanto e tão rápido em 20 anos. Passeou conosco pelo centro, nos levou em restaurantes deliciosos, nos mostrou museus, igrejas, parques, vistas da cidade e até cidades vizinhas, onde visitamos monastérios incríveis. Tudo muito interessante! Claro que tomamos muito chá! Também experimentamos uma bebida tradicional chamada “kvass”, feita de pão preto, água e açúcar, uma delícia!
Tanto em São Petersburgo como em Moscou, nós tivemos a oportunidade de conversar com os locais sobre a Rússia, descobrimos coisas que não sabíamos e ouvimos histórias sobre como era a vida durante o regime comunista, vindo de pessoas que realmente o vivenciaram. Coisas boas, como a saúde, educação e inexistência de criminalidade e ruins como os problemas econômicos, a injustiça e até a falta de produtos nas prateleiras e bons restaurantes! Nós passamos apenas 9 dias no país, mas a imersão na cultura foi tão grande que nós o deixamos como se o conhecêssemos muito bem. A experiência de ficar com locais tem sido tão magnífica que é até difícil de descrever.
            Agora seguimos viagem. Próximo destino: Suíça! =)

--

We arrived in Moscow at 9 o'clock in the morning and went straight to the train station. We spent much time trying to communicate because nobody spoke English. But finally our mimes worked and we managed to buy a ticket for the same evening. We waited at the station, got a great train and woke up in St. Petersburg.
It's hard to describe our feeling when we first arrived in the city. I'd say it was magical, but let's see if I can explain it better. We would stay with Elena and Marina, mother and daughter, who we met on couchsurfing. We arrived at 5 am and took the metro outward of the city center. We arrived in a clean and quiet neighborhood with beautiful old buildings. The streets were empty and it was chilly. The feeling of being in such different places in a small time interval was strange. We left the big, bustling, modern Delhi and now we were in the old, traditional and quiet St. Petersburg. We walked through a tree-lined street, passed by some bakeries and, in front of a traditional Russian church, we found the apartment we would stay at.
It was a very old building, beautifully kept, with large doors and doorknobs. We entered an old elevator that led us to a huge apartment. The living room had a view of the church with its stunning architecture, the ceiling was high and the lights of two large chandeliers that came down from the detail designed plaster were off, as at this time of year the nights last only an hour or two. Elena and Marina received us with great kindness, prepared breakfast and made us feel at home. Yes, we were halfway across the world and at home, it is magical.
We rested a little and explored the city in the following days. We went around and walked a lot, enjoying the mild temperatures. Not having to avoid walking because of the heat was great! We visited famous museums and saw magnificent buildings of palaces and churches. The city is absolutely beautiful and full of history, it was built by a Czar, who named it after his name: Peter. We were in the old European world for the first time and it was interesting to think about everything that had happened there.
We ate a lot of bread! The Russian breads were delicious! And we were missing it, since bread is not as common in Asia! Bread, cheese, salami, it was a dream! With the mild weather, I put on a pair of jeans and a scarf, felling very happy! But of course I exaggerated because during the day it was hot, but a nice hot, about 25 degrees and cool in the shade. Everything was great!
Staying with Elena and Marina was amazing. We felt like we were visiting relatives we had not seen in a long time. What a delightful atmosphere! Elena made traditional Russian dinners and we drank some tea, also a tradition. We felt comfortable to also make dinner some days and the talks on various subjects, including the history of Russia, were spectacular!
In Moscow we stayed with Sergey, also by couchsurfing, who presented us the city with the eyes of someone who has lived there all his life! He showed us several buildings that were destroyed by the Soviet Union and, with its fall, have been rebuilt exactly as they were before. We saw reconstructions being made, churches being built again. He told us the religions were banned during the Soviet Union and explained how things have changed so much and so fast in 20 years. He walked us through the center, took us to delicious restaurants, museums, churches, parks, views of the city and even to neighboring towns, where we visited amazing monasteries. All very interesting! Of course we drank a lot of tea! He also introduced us the traditional drink called “kvass”, made of black bread, water and sugar, delicious!
In both St. Petersburg and Moscow, we had the opportunity to talk with locals about Russia, discover things we did not know and hear stories about what life was like under the communist regime, coming from people who really lived it. Good things, such as health, education and lack of criminality and bad ones like the economic problems, injustice and even the lack of products and good restaurants! We spent only 9 days in the country, but the immersion in the culture was so great that we left it as if we knew it very well. The experience of staying with locals has been so wonderful that it's hard to describe.
Now we travel. Next destination: Switzerland! =)

Pedro perdido em São Petersburgo
Pedro lost in St. Petersburg
Visto to apartamento em São Petersburgo à meia noite
View from St. Petersburg apartment at midnight.
Hermitage 
St. Petersburg
St. Petersburg
St. Petersburg
Na casa da Elena e da Marina
At Elena and Marina's house
Estação de metrô
Metro station 
St. Petersburg 
Estação de metrô
Metro station 
Metro
Moscou com o Sergey
Moscow with Sergey
Moscou com o Sergey
Moscow with Sergey
Monastério perto de Moscou
Monastery close to Moscow
Vista de Moscou
View of Moscow
Kvass

2 comments:

  1. ERMELINDA COELHOJuly 15, 2012 at 4:00 AM

    QUE DIAS MARAVILHOSOS!SERÃO INESQUECÍVEIS,ALIÁS A VIAGEM INTEIRA.E OS NOVOS CONHECIMENTOS,ISTO, É PARA SEMPRE.BEIJOS

    ReplyDelete
  2. Aline Coelho CardosoAugust 1, 2012 at 11:50 PM

    Muito legal! Da forma como voce escreve a gente se sente conhecendo o local também! Muito show! To com muitas saudades! Te amo!

    ReplyDelete